Primeiro dia na escola. Ataque de choro. E não foi do pequeno

Dizem que o primeiro dia da escola de um filho é terrível… para os pais.

No meu caso não foi bem assim. Minha mulher, então, tirou de letra a primeira experiência. Fez a adaptação de modo rápido e fácil com nossa filha.

Eu também fui, para saber como seria. Sofria por antecipação. Poderia ficar até uma hora dentro da sala, mas com cinco minutos minha filha já tinha me deixado de lado e ido em busca dos brinquedos da creche. Nem se lembrou da minha existência. Fui embora desolado.

Agora veio a experiência com o segundo. Minha mulher tensa, porque o guri é muito apegado a ela. Desta vez era ela quem sofria por antecipação. Chegou o dia e a mais velha fez questão de ir junto, claro. Minha mulher, mais uma vez e sem surpresas, tirou de letra. O pequeno? Idem. Foi direto brincar.

O problema foi a irmã. Ela deixou a sala da creche aos prantos. “Não quero deixar meu irmão sozinho na escola!”

É mole?

baby-155178_960_720